30.5.06

A despedida do KUNG FU

Três quadras me separavam de mais um passo importante para fechar tudo por aqui. Essa é a distância entre o prédio da Johnson & Johnson e a academia de Kung Fu http://www.tatwong.com.br e eu nunca pensei que caminhar esta distância até lá fosse parecer tão pesado, triste e distante! Não foi fácil dizer adeus lá mas o velho sábio já dizia que as coisas importantes não são fáceis. Na medida em que são fáceis, não são importantes...
Ao chegar para a reunião marcada com um dos meus mestres, o mesmo me pediu que esperasse um pouco. Pronto - foi o que bastou para ter a certeza de como a convivência ali - com cada instrutor, os mestres, os companheiros de treino (os sihings e sijehs do chinês irmãos e irmãs respectivamente) - me tornou melhor, mais equilibrada, paciente, persistente. O leitor vai pensar bem mas isso afinal de contas são os valores da arte marcial. Sim, mas encontrar escolas e mestres que os vivam em sua essência mais pura é que são elas!
Enquanto esperei (foram uns cinco minutos que pareceram horas) assitia a aula de um dos ótimos instrutores de lá. Coincidentemente ou não, aquele que me ensinou os primeiros passos no kung fu. E, três anos depois, a alegria em ensinar e no trato com os aprendizes era a mesma! Incrível o que acontece quando se tem paixão pelo que faz!
Em um instante um dos meus mestres me chamou para oficializarmos a minha saída de lá. Respirei fundo, levantei, engoli seco e fui. Fiz o que precisava fazer mas são nestes momentos em que a emoção trai qualquer instinto racional e fica difícil falar, a voz não sai, embarga, enfim... feito.
E a todos com os quais convivi lá nestes três anos - entre katis, defesas, ataques, suor e lágrimas até - o meu muito obrigado. Saibam que vocês estarão sempre em meu coração! KIN LAI!

2 comentários:

Bruna disse...

mas você não usou a palavra mais legal do kung-fu: SIFU! é legal quando você fala SIFU!

paula disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.