15.11.06

Como não guardar um colchão de ar

Terça feira e a cidadã que vos escreve levanta cedinho para ir até a escola Yorkdale saber mais sobre o co-op program que poderá fazer para ganhar a famosa experiência canadense e assim poder entrar no mercado de trabalho por aqui.

Pois bem, no apartamento em que estamos provisoriamente (pretendemos nos mudar em dezembro) há um cômodo extra – o Den. O mesmo que ao chegamos dormimos por duas semanas enquanto a nossa amiga chinesa usava a suíte master. Ela voltou para a China, nós fomos para a suíte master e deixamos o colchão de ar (cheio) em pé e enconstado na parede do Den.

Colado nesta mesma parede há um grande e muito útil mapa da linha do metrô de Toronto. Oito horas da manhã e a dona deste blog, já apressada para cumprir todas as tarefas que havia planejado para aquela manhã, adentra o recinto – vulgo Den – acende a luz, move o colchão levemente para a esquerda para poder enxergar o mapa do metro na parede.

Enquanto mostra ao marido a estação do metrô que deverá descer e o marido “GPS” calcula a melhor maneira de fazer o “transfer” para o ônibus, eis que um leve som - algo como pssssiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii - surge do teto do Den.

Por cinco segundos meu cérebro mandava a mensagem – é apenas o barulho do chuveiro do vizinho mas no instante seguinte detecta que tratava-se do colchão que ao ser arrastado para liberar a visão do mapa, encostou na lâmpada do teto quente. Calor + plástico!!!! TCHARAN! Furei o colchão de ar!

No mesmo momento só pude lembrar dos nossos amigos importados de Montreal que furaram seu colchão de ar durante a mudança por não terem esvaziado o mesmo para o transporte. Fábio e Eliane, adivinhem em quem eu pensei na hora? Acharam que furar colchão de ar fosse exclusividade de vocês?

O desapontamento da esposa –“Este colchão ficou duas semanas parado aqui e agora que vamos nos mudar e precisaremos dele de novo a lâmpada do Den cruza o meu caminho!!!”
A tranquilidade e equilíbripos quase tibetanos do marido – “Tudo bem! Não há problemas, pegue a caixa por favor”.

Dentro dela havia um tapa buracos e o marido mais que prontamente colocou. Ainda não sabemos se vai funcionar quando enchermos novamente mas antes disso já convoco a “colônia amiga” para me emprestar um.

Luci, o seu ainda está aí sem usar? Estamos aceitando o empréstimo para quando mudarmos para nossa casa e prometo não deixá-lo na posição vertical jamais... Fui, peguei as informações que precisava e a luta continua. Afinal não vai ser um colchãozinho furado que vai nos tirar do prumo né?

Ah, lembram do processo que estava participando para uma vaguinha de intérprete? Não peguei a vaga. Foi apenas a primeira tentativa de muitas que virão e ao menos já posso dizer que comecei a ter experiência em entrevistas e processo longos e complexos como foi este em específico.

E vamos em frente que atrás vem gente!!!

11 comentários:

Fabio disse...

Olá Paula,

Parabéns pelo seu blog....
Vc tem um dom muito especial que é o da escrita.....Seu blog é uma delícia de se ler.....
Estou torcendo e tenho certeza que em breve vcs vão conseguir os tão sonhados e necessários empregos.....
Só um detalhe, sinto um pouco de falta de saber como está a adaptação do Maurício.... Quais treinamentos que ele está frequentando....
Bom... que sabe um dia eu e esposa tenhamos a coragem que vcs tiveram... vontade não falta....

Dani e Rafa disse...

Futuros vizinhos..
Quando vcs mudam, previsão??
Temos o nosso colchão de ar, mas antes precisamos comprar um sofá. Estamos com planos de comprar este mês, ou assim que encontrá-lo... Se conseguirmos encaixar as datas, o nosso tb fica a disposição..

Beijos, e o co-op foi legal? gostou? quero saber mais detalhes do apto. Beijos de novo.

Fabio Testte disse...

hahaha....não acreditei quando li.
Eu posso emprestar nosso colchão pra vcs, mas tá longe e ainda furado. Qualquer dia desses eu crio vergonha na cara e tento tampar o furo.
Abraços pra vcs !
/Fabio & Eliane.

CarloAmorusso disse...

Oi Paula,

Obrigado pela visita ao blog. Puxa, que azar essa estoria do colchao. Tomara que o remendo tenha funcionado.

Um abraco,

Carlos

Jeanne disse...

Acho que deveriam vender silver tape junto com colchões de ar, afinal, existem mil maneiras de se furar um colchão, invente uma!
Boa sorte da proxima vez.
Bjs

Leslie disse...

Veja bem amigos, posso até imaginar a cena... bjs

Lu disse...

hahahahaha!!! Morri de rir com a história... valeu a experiência de vcs e que todos nós possamos aprender com a experiência alheia, não é mesmo?! rs...

Abraços e sorte no co-op!!

Caldeirola disse...

Então, acontece. Pode crer que do jeito que eu sou estabanada, teria feito pior.
hahahahah
beijoca, saudade!
Continuo na torcida de pompom.
Caldêra

.::Ju::. disse...

Oi Paula!

Colchão de ar sempre fura a toa! Basta ter um pra furar!
Quanto à vaga, não se preocupe! Logo, logo vc acha uma até melhor! Estou torcendo por vc!

Bjos!

Fernanda disse...

O que seria dessa experiência sem ter histórias como essa para contar?

Quanto ao emprego... relaxa e segue em frente que logo logo aparece alguma coisa!

Beijos

Fe

ROGÉRIO & LUCI disse...

OI PAULA,

ENTREI NO O SEU BLOG SOMENTE HOJE, POIS ESTAVA EM SEMANA DE PROVA E TAMBEM COMO DEVE TER LIDO NO MEU BLOG, ONTEM FOI MEU ANIVERSARIO DE CASAMENTO. NAO SABIA QUE ESTAVA DE MUDANCA PARA MAIS PERTO AINDA, VC NEM COMENTOU NADA.
BOM, MEU COLCHAO EH JUSTAMENTE AQUELE QUE VOCE DISSE QUE NAO COMPROU PQ ERA MUITO ALTO E AFUNDAVA, SE VC NAO SE IMPORTAR….
O ROGERIO EMPRESTOU PARA UM AMIGO INDIANO DA EMPRESA RECEM CHEGADO NO CANADA. ELE DISSE QUE NOS DEVOLVERIA EM BREVE. SE ELE DEVOLVER A TEMPO DA SUA MUDANCA TEREMOS PRAZER DE EMPRESTA-LO PARA VCS. QUANDO EH QUE VC MUDA?
QTO AO EMPREGO, QDO MENOS ESPERAR ELE APARECERAH.

BEIJOS LUCI E ROGERIO