14.6.06

De Jornalista à Diarista

Com muito orgulho e felicidade estampada nos olhos! A idéia do título é uma homenagem à nossa querida Aline (Pato para os íntimos) que neste momento está em terras americanas desfrutando das maravilhas que a California oferece!
Esta mesma "figura", que partiu para um período de um ano na Califórnia e nos deixou orfãos de suas pérolas, dizia que era diarista quando se referia ao período de transição entre sua formatura em jornalismo (pois é, parece que os jornalistas não são muito normais mas só para citar Fido Dido - o "mentor espiritual" de minha querida e neste momento engessada amiga Leslie Diorio - "NORMAL IS BORING"!) e arrumar o primeiro emprego "na área". Aliás, termo este que sempre me incomodou muito mas isso já seria assunto para um outro post.
Infelizmente, em nossa cultura - não sei se paulistana ou brasileira mesmo (não sou antropóloga para afirmar) - trabalhos tão dignos e nobres como outro qualquer (pedreiros, carpinteiros, faxineiras, cozinheiros, motoristas de ônibus, etc) ficam relegados à um segundo plano. Como se as pessoas que exercem este tipo de função não desfrutassem da mesma nobreza de espírito de que são embuídos aqueles que dedicam parte de seu tempo e de suas vidas à realização de uma tarefa (não importa qual seja) com dedicação, comprometimento e honestidade.
Vejamos - lembrei-me da Aline que dizia ser a diarista quando nos ajudou (e muito!) aqui no departamento de comunicação e também da minha fase de vida agora em que arrumo tudo para deixar o país! E, de uma maneira muito carinhosa (do mesmo jeitinho que a Aline falava) defino o meu momento - Aline, também sou uma diarista! (que batalha, trabalha, luta e de quebra faz faxina)
Há um mês que eu não faço outra coisa senão separar as coisas extremamente úteis das quase úteis e aquelas inúteis das totalmente dispensáveis (e como acumulamos coisas dispensáveis ao nosso redor! Achei coisas guardadas há 5 anos! Socorro Polícia!). É faxina nas gavetas de casa, nas gavetas do trabalho, no meu quarto, guarda-roupa.... UFA!
Bruninha querida, acho que hoje estou detalhando a faxina geral um dos ítens mais importantes da lista dos afazeres de hoje até a data de embarque (ainda indefinida mas que já está sendo providenciada pelo querido marido. Isso é tarefa dele, assim como colocar o apê à venda e outras cositas mas).
Agora é só partir para o abraço - são APENAS mais 10 dias úteis para o fim do aviso prévio e para que eu possa me dedicar em tempo integral ao meu projeto de vida e dar início ao que os americanos chamam de "between jobs", os brasileiros mais elegantes de "período sabático" e alguns até de desemprego. Prefiro chamar de "O começo dos meus próximos dez anos de vida"...

3 comentários:

Leslie disse...

Amiga querida, que texto lindo... posso imaginar como anda a sua cabeça nestes poucos dias que lhe restam aí na JOhnson. Mas, se eu bem te conheço, esta faxina que vc vem fazendo há quase um mês tem sido a coisa mais prazeroza do mundo para vc! Estou certa? È como se fosse uma limpeza de espirito para começar sua nova vida a todo vapor! E como dizia Maomé: rapadura é doce, mas não é mole!!!
bjs da amiga engessada Leslie

Anônimo disse...

Todos os meus amigos são sábios, todos, sem exceção.
A Bi faz falta, e vc tbm vai fazer...
Socorro polícia...para quem fica!

Paula Regina disse...

Lé querida,
vc me conhece muito bem mesmo! Acertou em cheio o que sinto agora. Estou torcendo muito para que vc se recupere logo.