11.10.06

A Escola para aprender a procurar emprego no Canadá

7h30 da bela manhã de outono e o despertador toca. O casal levanta, troca o surrado par de tênis, o inseparável jeans e veste-se de “morador de Toronto que sai para o trabalho ou para a escola”.

8 em ponto deixa o apartamento em direção ao metrô. Lá, junta-se à centenas de Canadenses (de todas as partes do mundo, inclusive daqui). Não carregam consigo mais o mapa das ruas e do metrô. No lugar, a pasta com caderno e caneta e a deliciosa sensação de começar sua incursão na vida daqui, o dia dia e a abençoada rotina que começa a tomar forma.

Estes somos nós começando a nos sentir menos turistas e mais cidadãos. Só quem chega como imigrante é capaz de avaliar a montanha russa de emoções e sentimentos das primeiras semanas de quem aterrisa com as malas de roupa, suas economias e a satisfação do sonho concretizado. O resto? A gente corre atrás...

Foi o que começamos a fazer ontem. O governo Canadense oferece ferramentas e está muito bem estruturado para ajudar neste início mas é claro que você precisa “se ajudar” também (e como!!). Entrando com toda a parte da disciplina, determinação, equilíbrio emocional e financeiro para encarar os altos e baixos característicos de momentos de transição e, principalmente, ter sempre em mente que VOCÊ ESCOLHEU O CANADÁ.

Logo, cabe à você estudar e entender como tudo funciona por aqui e adaptar-se para se inserir da melhor maneira e o mais rápido possível, respeitando sempre os valores do lugar que adotou para viver!

E lá fui eu para o meu primeiro dia no Toronto District School Board dar início aos procedimentos necessários para frequentar o NOW. Programa de consultoria para a busca de emprego no Canadá e que me foi recomendado pelo Departamento de Recursos Humanos e Desenvolvimento do Canada.

Logo que chegamos por aqui, fomos até o HRDC do Dufferin Mall e lá eles te entrevistam, levantam sua ficha e te direcionam para um dos inúmeros programas existentes com o próposito de orientar o imigrante no quesito trabalho. Há programas apenas para mulheres, para quem não fez faculdade no país de origem, para quem fez e por aí vai.

A minha primeira impressão não poderia ter sido melhor. Logo ao chegar fui recebida por um senhor britânico muito simpático e agradável (aliás a hospitalidade e simpatia são lugares comuns por aqui!!). O mesmo me aplicou um teste (para quem saiu do Brasil com inglês avançado não apresenta dificuldade alguma), corrigiu na minha frente e já deu o ok para a matrícula. Basta atingir 15 em uma escala de 20.

Ele ainda brincou comigo e disse que me deu 19,5 porque na copa do mundo de 1998 ele perdeu dinheiro apostando no Brasil na final contra a França. E quando a recepcionista (que não sabia que no Brasil falávamos português) disse à ele – “Você sabia que no Brasil eles falam português?” Ele mais que prontamente brincou – além de saber que eles falam português, ouvi dizer que eles possuem péssimos jogadores de futebol!”

É claro que uma conversa entre uma brasileira (que gosta de futebol) e um britânico (em geral os Britânicos são apaixonados pelo esporte também) só poderia acabar nisso!!

Antes de ir embora ainda passei pela Nagla (o meu objetivo até o final do curso é pronunciar o nome dela direito) uma Nigeriana incrivelmente agradável que me matriculou no curso que começa segunda que vem. Ao me despedir dela eu virei e perguntei – “Preciso trazer algo para segunda? (claro que me referia a algum material)” Ela logo armou um largo sorriso e disse “Traga apenas a sua atitude positiva!”

Voltei embora para casa feliz da vida. Sempre sonhei em morar em um lugar assim. Onde é muito natural você encontrar em um mesmo lugar pessoas do mundo todo e, com menos de dez minutos de conversa, aprender sobre outras culturas!! E por falar em cultura, alguém aí já assistiu ao filme A Corrente do Bem. Pois é, ás vezes me sinto exatemente em meio ao filme por aqui.

Em tempo – as pessoas na rua já me param para pedir informações. No metrô então é uma festa! E o melhor de tudo? Eu já sei responder!!! É, parece que comecemos a deixar de ser turistas para começarmos a ser moradores desta adorável cidade.

7 comentários:

Mirela disse...

Todas as vezes que eu leio seus posts sinto o encantamento de vcs pelo Canadá.
Isso é bom, pois os motivam ainda mais a viver neste país!

Fabi disse...

Acho que todo o brasileiro que chega lá o Mike dá um jeito de contar essa história. A recepcionista continua sendo a Linda? Ela é um barato!!!!! Aproveite bem o curso!!!! Bjokas

Lizete disse...

Epa,...me emocionei muito ao ler o
post hoje ...não sei se por sentí-la bem canadense (isso é mt. bom) ou se coincidentemente porque toca ao fundo "..saudade...matadeira..Rick&Renner'" ou ainda, pelo dia chuvoso...Vá lá então,imagene ,se o
Mike se referisse à copa de 2004?Felicidades ,queridos IMIGRANTES canadenses!!!Beijos..Lizete.

Henrique (Portugal) disse...

Olá Paula!!!!!
Fala CDB (Maurício)!!!!
Estou muito feliz por vcs, espero que as coisas continuem fluindo da melhor maneira possível e que vossos sonhos se realizem.
Não sabem a pontinha de inveja que estou sentindo de vcs!!!!
Vcs conheceram o bairro português em Toronto, onde a hospitabilidade não foi lá muito legal. Agora imaginem um país inteiro assim, talvez pior pois os imigrantes portugueses são melhores do que os portugueses "nativos".
Muitos abraços e muita sorte!!!!
Maurício e o Neboram, já encontrou ele por aí?
Henrique

Luly :) disse...

Oie!

Eu tb ouvi essa história do Mike! E a Naglaa é mesmo um barato!! Eles são muito bacanas. Espero que vc goste do curso!

Bjos

Lizete disse...

Oi...Corrigindo!!!!!Por conta da emoção,anteriormente não percebi o erro"Imigrante canadense"...LEIA.-SE:" IMIGRANTE " ou "IMIGRANTE Brasileiro"...Desculpem...Beijos.Lizete.

Dani e Rafa disse...

Ai o famoso futebol!! Sempre tem alguém que fica sabendo que somos brasileiros e acabam tocando neste assunto. Em geral estas são as melhores conversas (descontraidas e de mta animação). Nunca fui fanática por futebol, mas aqui ele é meu amuleto por que me rende uns bons bate papos...
Qto a boa vontade de todos aqui, sem comentários, dá para explicar como é se sentir bem tratada 24hs por dia?! Sensação indescritivel, e sem igual!!
Beijos aos "estudantes".