7.10.06

Escaneando Prateleiras - A Série/Episódio 1

O Cartão de Débito Canadense
Ontem eu tirei a tarde para rastrear as lojas e pesquisar os preços de tudo por aqui. Ao fazer isso, tive a idéia de criar uma série neste blog chamada “Escaneando Prateleiras”. Desta forma, sempre que lerem este título já saberão que trata-se de pesquisas de preços, produtos, lojas e tudo que envolve os hábitos de consumo por aqui.

Obviamente que fiz isso sozinha. Deixei o querido marido em casa estudando e sai à caça dos bons preços e do reconhecimento de uma infinidade de produtos (casa, comida, higiene, roupa) aos quais não estávamos habituados no Brasil. Claro que, em um mundo globalizado, muitos dos produtos que consumíamos no Brasil podemos encontrar nas prateleiras daqui, ou melhor, chegaram até aí por conta da multinacionalidade de grandes empresas.

Sempre gostei muito de observar em minhas viagens (e até mesmo no Brasil) o comportamento dos consumidores no momento da compra, além de observar as diferenças (diversidade de produtos, cores, tamanhos e formas) nas gôndolas de supermercados e prateleiras de lojas. E após ter passado quase 4 anos trabalhando na comunicação de uma multinacional focada em vender produtos para o consumidor final, aprendi muito sobre esta “ciência” que é o desenvolvimento de produtos, sua adequação a cada mercado e comportamento do consumidor local.

Pois bem, o meu objeto de pesquisa ontem foi a loja Winners (que a minha querida amiga Dani Zuim já havia indicado antes de sair do Brasil). A loja em questão fica dentro de um Mall (conjunto de lojas, praça de alimentação, farmácia) então o meu campo de pesquisa era muito fértil!

Após algumas horas por lá, pude constatar que a loja realmente vale à pena para quem acaba de chegar e está administrando uma equação inversamente proporcional entre os coeficientes +Tempo e –Dinheiro. A mesma jaqueta da Columbia que eu havia visto dois dias antes na Sears trazia uma diferença de 30 doletas Canadenses! Mas é preciso fuçar muito pois as marcas ficam todas misturadas nas araras e nem sempre há o seu número.

Já na fila para pagar (seria a primeira vez que eu usaria o cartão de débito do banco Canadense) observei a diferença de procedimento no pagamento. Ao contrário do que estamos habituados no Brasil (do caixa passar o nosso cartão e vc vai lá digita a senha), por aqui a moça do caixa apenas diz o valor , vira a máquina para você e você mesmo passa o cartão (uma ODE à independência!). Tudo bem que eu tive que repetir a operação três vezes antes da palavra ERROR sair do monitor (tudo uma questão de treino, ou melhor, falta de).

Uma vez que a palavra ERROR se foi, veio a segunda diferença. O meu pobre cérebro estava condicionado a digitar a senha direto. Entretanto, agora ele já percebeu que terá que optar pelo tipo de conta de onde vai tirar o dinheiro antes. Quando abrimos a conta no banco, colocamos dinheiro em duas contas – a Checking Account (vulgo nossa conta corrente) e a Saving Account (vulgo nossa poupança) . Aí você olha para a maquininha, aperta a tecla de uma das contas e só então aparece o ENTER PIN (famosa senha) + OK. AH tá!

Em tempo – o supermercado Loblaws (que temos frequentado por ficar á uma quadra de casa) nos traz uma opção que AMAMOS, não sem antes sofrermos um pouquinho para pegar a malícia claro!

Trata-se do SELF SCAN CHECK OUT (outra ode à independência que eu particularmente amo). Finalizadas as suas compras, você vai direto para as máquinas (sem operadores/pessoas) escaneia seus produtos por meio de leitor de código de barras, coloca seus produtos nos saquinhos (que já ficam prontinhos pendurados em um prato giratório), faz seu troco, pega seu recibo que a máquina solta e vai embora.

Claro que a “casa caiu” um pouqinho mais quando compramos pela primeira vez frutas e vegetais. Como não possuem embalagens, cada fruta e legume já possui um código registrado na máquina. Você precisa selecionar o produto e o código aparece. Hoje já sei o código da banana de cabeça – 4011 é só chegar e teclar!!

Nada como um dia após o outro...





5 comentários:

Luly :) disse...

Oi, Paula!

Outra dica de quem já apanhou nessa maquininha do Loblaws: algumas frutas/legumes não têm o código registrado na máquina, mas vc pode ver que todas tem um adesivinho (tipo a "marca" da fruta) e lá tem um número. É o código delas... :)

Bjos

Lizete disse...

Olá ,menina, voce é ótima professora!!! Pois ao ler seu post,me senti dentro desta "loja",fazendo compras e...me "enrolando " toda com as máquinas.que o diga o computador!
mas, nada como um primeiro mundo de independência!Beijos,Lizete.

Dani e Rafa disse...

Oi!!
Sabe o que eu tb acho mto bom por aqui nas lojas de roupas ou de departamentos!? Ninguém fica grudado em vc perguntando o que vc quer.. Todos te deixam super a vontade e vc fica lá o quanto quer sem ninguém te pressionar.. Eu adoro esta liberdade de escolher com calma. Beijos!

Andre - Ericsson disse...

Parabéns pela adaptação rápida no dia-a-dia!
Outono é legal pra caramba...aproveitem antes do Inverno chegar.
Abraços, André.

ROGÉRIO & LUCI disse...

olaaaaaaaaaaaaaa
no quesito maquininha jah to craque, claro que houve um treino com meu maridao em casa, o dificil serah qdo tiver alguma coisa que nao ensaiei. concordo com a Dani, amo nao ter ninguem baforando no meu cangote, perguntando 10.000 vezes se pode ajudar.
beijos