29.8.06

Quando Nietzsche chorou

Por uma destas coincidências da vida, acabo de ler, ou melhor "devorar", o excelente romance de idéias "Quando Nietzsche Chorou" do autor irvin D.Yalom - Ediouro. Falo em coincidência não pelo fato da leitura em si pois sempre fui e serei uma amante da leitura e de bons livros. A coincidência aqui foi a escolha desta obra em especifícico, em meio aos muitos bons livros que o meu querido irmão também apreciador de livros mantém em sua biblioteca.


Sempre achei que os filmes e livros impactam e/ou influenciam as pesssoas de maneira diferente, ou seja, dependendo do momento que vivem, experiências acumuladas e postura perante à vida, a mesma obra atinge mais ou menos diferentes pessoas . Em apenas 3 dias, as 407 deliciosas e inteligentes páginas do livro passaram por meus olhos como um lindo dia de sol e emaranharam a minha mente em um romance de idéias apaixonante.


A Viena do final do século XIX é o pano de fundo onde realidade e a ficção se misturam, assim como a literatura, a filosofia e a psicanálise. Josef Breuer, um dos pais da psicanálise, depara-se com um desafio - o de tratar o filósofo Friedrich Nietzsche, atormentado por uma crise existencial e por uma depressão suicida.


Enquanto lia diálogos como os que resolvi extrair do livro e colocá-los abaixo para compartilhar, só reafirmava e entendia mais ainda a minha postura (e de meu querido marido) perante a vida e perante a esta grande mudança que estamos prestes a realizar. Daí a paixão por um livro que, em determinado momento, só fez lembrar-me da principal resposta que tenho dado muito nestes últimos meses quando perguntada sobre a razão e/ou motivo de nosso ida para o Canadá - Estamos escolhendo nossas vidas, estamos enfim VIVENDO!


Trechos de um diálogo entre Nietzsche e Josef Breuer, retirados do livro:


-"Não ensino, Josef, que se deve "suportar" a morte ou "aceitá-la". Isso seria trair a vida. Eis minha lição - Morra no momento certo!.... Viva enquanto VIVER!....Caso não se viva no tempo certo, então nunca se conseguirá morrer no momento certo."
-Pergunte a si mesmo, Josef, você consumiu a sua vida? Você viveu a sua vida? Ou foi VIVIDO por ela? ESCOLHEU-A ou ela escolheu vocÊ? Amou-a? ou a lamentou? Eis o que queo dizer quando pergunto se consumiu a sua vida...Não ficar impotente lamentando a vida que nunca viveu... esta é a causa da sua angústia e frustação"

Filosofia aplicada PURA... e é exatamente isso, estamos consumindo nossas vidas !


FALTAM 15 DIAS PARA O EMBARQUE!

4 comentários:

lelé disse...

Oi Paula! Também acabei de ler este livro e, coincidência ou não, também adorei. Devorei-o em exatos três dias. Foi como o Código da Vinci... assim como vc, sublinhei alguns trechos do livro para eu levar para a vida. Este abaixo, quando li, pensei exatamente em vc e no Mauricio e nas nossas discussões sobre filhos. Olha só:

" Para formar crianças, você precisa primeiro estar formado. Senão terá fihos por força de necessidades animais, ou da solidão, ou para remendar buracos. Sua tarefa como pai não é produtzir outro eu, outro Josef, mas algo mais elevado. É produzir um criador"

Olha outro que eu amei e que se aplica muito a mim neste momento da minha vida:

"Para se relacionar com outro, você precisa primeiro relacionar-se consigo mesmo. Se não conseguimos abraçar nossa própria solidão, simplesmente usaremos o outro como um escudo contra o isolamento"

Acho que vou ler este livro mais uma vez, só para retirar mais algumas lições.
Bjs e na contagem regressiva!

Anônimo disse...

Paula, Eu e Renato estamos em férias, acabamos de voltar da linda cidade de Natal; também acabamos de ler sobre o queijos e vinhos e ficamos emocionados; bem, vocês são sempre convidados na nossa casa e tenho certeza que no Canada encontraram muitos amigos para fazer por lá um queijos e vinhos; viver intensamente, como diz uma musica do Itamar Assumpção, de forma muito simples e bonita:
Faça o que é bom
Sinta o que é bom
Pense o que é bom
Bom pra você!
Um dia você me conta
Um dia você me apronta
Um resumo
Do supra-sumo do seu prazer
Pese o que é bom
Perceba o que é bom
Decida o que é bom
Pra você
Decida o que é bom pra você...

Boa viagem e muitas, muitas felicidades!
Shirlei

Renata disse...

Nossa, amei o trecho do livro. Caiu bem direitinho pra mim...faz tempo que estou ensaiando pra ler esse livro, mas com certeza vou providenciá-lo o quanto antes.
Boa sorte na nova jornada!
Renata

larissa_moya_1 disse...

Oi pessoa desconhecida!!
também adorei o livro, e anotei as melhores frases! inclusive achei o blog pela frase "Morra no momento certo".
boa sorte!
beijos