19.1.07

Domando o idioma de Shakespeare

Não que eu tenha domado completamente o idioma de Camões, Machado de Assis, Fernando Pessoa, Guimarães Rosa, José Saramago e tantos outros mestres da última flor do lácio, inculta e bela. Entretanto, ter nascido em solo brasileiro, adquirido o gosto pela leitura desde a mais tenra idade e, mais tarde, ter escolhido uma carreira que prima pelo uso do idioma, deu-me a capacidade de poder, senão domar totalmente, dominar um pouco o nosso, muitas vezes, tão surrado português.

E uma vez que escolhi para viver, trabalhar e estudar (sim, estudar sempre!) um país, digo uma província dentro de um país, onde o idioma ingles é falado, nada mais adequado ao meu perfil (quem me conhece melhor sabe o quanto amo livros, escolas, estudos e idiomas em geral) e aos meus objectivos de vida do que aprofundar-me no idioma de Shakespeare.


Para tanto, ontem dei os meus primeiros passos nesta longa e prazerosa (pelo menos para mim o é) caminhada. Comecei um curso de writing skills no Seneca College onde estarei às terças e quintas das 7 às 10 da noite até o fim de março. Pela primeira aula já pude ter certeza que trata-se de um ótimo curso que aproveitarei bastante. Vinte alunos em sala, uma excelente e nativa professora e um livro de primeira, totalmente adequado ao meu grau de domínio do idioma, ou seja, o pré teste que eles me aplicaram para dizer quais os módulos de cursos que eu estou apta à frequentar funciona.


O Maurício também vai estudar lá mas em um outro curso, não somente porque temos grau de domínio do idioma diversos, mas também por conta de uma de nossas filosofias de, sempre que podemos, não frequentarmos a mesma sala de aula para um não atrapalhar o desenvolvimento do outro, afinal somos pessoas diferentes com habilidades e necessidades diferentes. Ele só está esperando começar a turma apropriada para ele.


Enfim, já estou adorando a escola, o curso e principalmente o fato de ir à noite. Para quem já está aqui no Canada e ainda não andou em meio à uma região alta (como em volta da Seneca) com bastante neve acumulada ao redor durante à noite, eu RECOMENDO! A neve acumulada fica mais bela ainda durante à noite! E a fila ultra mega organizada no ponto de ônibus (que ainda não havia chegado) e que continuou daquela maneira quando o ônibus parou para todos entrarem. Sem comentários, ou melhor não aguento, estes são daqueles pequenos detalhes que eu mais aprecio e fazem toda a diferença no cotidiano!

Este post foi uma homenagem ao meu querido irmão Pedro Paulo (outro amante das letras) que dia destes, em conversa sobre as fases de paciência que o imigrante precisa passar no início de sua jornada, citou trechos de duas obras do FERNANDO PESSOA : "Não sou nada. Nunca serei nada. Não posso querer ser nada. À PARTE ISSO, TENHO EM MIM TODOS OS SONHOS DO MUNDO“. (in Tabacaria) e “Cada coisa a seu tempo tem seu tempo. Não florescem no inverno os arvoredos, Nem pela primavera Têm branco frio os campos." (in Cada coisa a seu tempo tem seu tempo).

7 comentários:

Cíntia disse...

Oi, Paula! Seu entusiasmo é um combustível pra nós que estamos para ir... a forma como vc descreve a sua experiência e a coragem e alegria que vc demonstra na forma poética que escreve me motivam e emocionam. Mal posso esperar para chegar e ver tudo isso de perto!
bj grande,
Cíntia

Carol, Ênio e Leila disse...

Olá,
eu ainda chego lá. rs Infelizmente ainda tenho um longo caminho a percorrer para fazer parte de uma turma avançada de inglês escrito. Mas, nesse caso, querer é poder. E eu quero muito.

Abraço,
CArol

redory disse...

Também sempre amei estudar línguas e a maneira como vc expõe sua sede de conhecimento é contagiante.
Fora os pequenos detalhes, como a fila no ponto de ônibus, que nos fazem acreditar que um lugar melhor existe sim...
Falta muito, mas chegaremos lá!
Beijos
Renata

Pedro Paulo disse...

Paula, como você mencionou - com precisão - diversas vezes Shakespeare, não pude resistir! Pois, na voz de uma de suas imortais personagens - Hamlet - diante de um duelo que pode lhe custar a vida, o insuperável William Shakespeare afirmou: "O ESTAR PRONTO É TUDO." Acredito, à distância, que vocês estão seguindo os sábios ensinamentos do maior mestre da língua inglesa. Beijos, Pedro Paulo.

Caldêra disse...

AMEI O POST. Especialmente a parte da fila civilizada no ponto de ônibus. Quando mesmo eu mudo pra aí?
beijo

Marlon disse...

Olá, li todos os posts do seu blog e posso dizer que praticamente já me convenceu a ir para o Canadá (em vez da Austrália, dúvida padrão). Além disso, estou gostando de Toronto sem mesmo conhecer. Será que eu poderia entrar em contato com vocês por email? Meu email é: marlon@marlonguerios.com

Abraços e boa sorte.

Marlon

lizete disse...

HeHeHee....São esses ,meus filhos queridos!!
Beijos/saudades!!!