7.12.06

Déjà Vu no Ministério da Saúde de Ontario

Nota do autor* Os fatos relatados a seguir ocorreram há seis dias (quando ainda morávamos na residência provisória da Bayview com a Sheppard) e qualquer semelhança do meu título com o novo filme do Denzel Washington (adoro este cara) não terá sido mera coincidência.

Em tempo, eu , na condição de imigrante às voltas com tudo ao mesmo tempo agora (ops, agora foi Titãs) não assisti ao filme mas providenciarei a ida ao cinema em breve. Vamos aos fatos...

Estando apenas há cerca de 2 quilômetros de distância do prédio do Ministério da Saúde de Ontario e como bons amantes de caminhadas que somos, fomos eu e meu digníssimo marido dar entrada no seguro saúde a que temos direito.
Como existe uma carência de três meses, optamos por fazer isso só agora pois mesmo fazendo antes só passariamos a estar “cobertos” a partir de 14 de dezembro (exatos 3 meses da entrada no aeroporto). Antes disso, nada de esquiar, patinar e tudo mais. Hoje recebemos as carteirinhas que passam a valer semana que vem . Eba!!! Agora já posso começar a aprender a patinar.

Chegando no guichê com a papelada necessária, percebemos que faltava o comprovante de residência. Eita pipoca (como diria uma querida amiga minha que ficou lá no Brasil!)! Naquele exato momento eu estava saindo da casa provisória e me mudando para o nosso aconchegante cantinho de onde escrevo hoje. A própria atendente sugeriu o contrato de aluguel que acabaramos de assinar como prova da residência. Tudo bem eu disse à moça, eu moro perto , já voltamos com ele.

Voltamos à pé. Estava uma manhã deliciosa para caminhar (por volta de 15 graus e sem vento) . Foi a semana em que todos comemoravam o DOUBLE DIGIT (como por aqui as temperaturas abaixo de 10 e até mesmo negativas são muito comuns, quando está acima de 10 a galera vibra e com razão. A relatividade é um barato mesmo). Pegamos o documento e lá voltamos para o prédio caminhando.

Quando a atendente viu o contrato logo disse - esta é uma cópia e só aceitamos original. Ela mesma prosseguiu - o seu original está com o proprietário né… vc não poderia pegar emprestado por um dia? não aceitamos original mesmo. Sim , pois não disse eu. Até mais ver.

Fomos fechar negócio com o novo apartamento, pegamos o contrato original com a Janet Kwan (excelente profissional que nos atendeu e altamente recomendável para quem está chegando e pretende morar pelas bandas de North York) e lá voltamos para o Ministério da Saúde pela terceira vez.

Tudo de novo, mesmo caminho, a pé. Tudo igual, Déjà Vu total apenas por um detalhe - desta vez deu tudo certo . Em menos de cinco minutos entregamos toda a papelada e teremos a cobertura do seguro saúde a partir de 14 de dezembro.

Saldo do Déjà Vu - seis quilômetros de caminhada pela manhã com um encontro no meio para pegar as chaves do nosso cantinho… Como já compôs meu ídolo Arnaldo Antunes em tempos de Titãs -"Uma coisa de cada vez, tudo ao mesmo tempo agora". E as crônicas da série "arrumando o nosso cantinho" continuam….

4 comentários:

lizete disse...

Oba!Ainda ,bem!!Quando iniciei a leitura,pensei..."será?"Ótimo,funcionam mesmo ,as coisas ai!Hiii..Eu...daqui,só espero que não necessitem usá-lo muito!Mas..se precisarem..bom,estão cobertos!!E, boas patinadas,pois sei que é seu sonho!!Beijos.

Caldêra disse...

vai e volta, vai e volta, vai e volta. Inda bem que deu certo!

E olha o eita pipoca ganhando o mundo!!!!
Assim é, amiga. Se vc lembra da expressão, lembra da expressiva, no caso, eu, o que me deixa muito feliz!!!!

amo vcs, boa sorte nos patins!!!

neuza disse...

Parabéns !! Casa nova, vida nova . Vocês merecem. Os amo muito. Mamaãe Neuza.

bruna disse...

Paul, hoje é minha banca! Socorro! Depois te mando um e-mail contando como foi. Beijocas pra você e pro Rogers!