9.12.07

Com a casa nas costas... de novo!

Há duas semanas que não faço outra coisa senão lembrar da minha querida sogra que dizia sempre ter a "casa nas costas" mencionando o fato de que estava sempre preparada para as várias mudanças que por ventura acontecessem na vida dela. Não sem motivos me lembrava da sogrinha.

Agora em dezembro acabou o contrato de um ano de aluguel que assinamos ao entrarmos com apenas 4 malas em nosso primeiro cantinho em Toronto. Ao tentarmos prolongá-lo por mais um ano, eis que o proprietário resolve vender o imóvel. E lá vamos nós de novo.

Sei que isso é perfeitamente normal, tanto que já aconteceu com vários dos nossos vizinhos por aqui. Entretanto, como passamos por tantas mudanças desde que chegamos, a sensação de passarmos por intermináveis etapas antes de nos aquietarmos não é das mais agradáveis. Desta forma, vamos à lei do mínimo esforço - estamos trabalhando para nos mudarmos dentro do mesmo prédio ou no máximo atravessar a rua para os prédios vizinhos.

Já temos alguns apartamentos em mente e na terça-feira vamos nos encontrar com a nossa corretora para quem sabe fecharmos algo por aqui mesmo na vizinhança (North York) e se tudo der certo nesta semana mesmo já sabemos para onde vamos pois precisaremos mudar até no máximo em janeiro.

No que depender de mim, já passaremos o natal em novo cantinho. Aliás, Natal? O que é isso? Eu mal estou me dando conta de que uma semana antes do natal - mais conhecida como semana que vem - será o meu aniversário! Tudo que eu quero neste momento é me aquietar. E lá vamos nós desmontar a casa, colocá-la literalmente nas costas, atravessar a rua (na pior das hipóteses) e montar o segundo cantinho no Canadá.

Fazendo umas continhas básicas, no Brasil eu já havia encarado 6 mudanças em 12 anos - o que a boa matemática diz que dá 1 mudança a cada 2 anos da minha vida. Tudo bem que o intuito é trabalhar para que esta média caia e nós nos assentemos, mas parece que o estado constante de "casa nas costas" é algo que ainda vai durar mais um pouco em minha vida! Quando vamos diminuir as andanças de um canto para o outro? Como dizia o caboclo - só Deus sabe! Enquanto isso vou colocando em prática a experiência que adquiri em meio à tantas mudanças.

Excelente semana à todos.

5 comentários:

Ninha disse...

Ei Paulinha, se eu tivesse por ai eu juro que te ajudava, pq eu sei como é duro essa coisa de mudança, sou filha de coronel e meu pai nunca parou num canto, era terrível.Mas eis que tb estou casada a 4 anos e ja encarei 3 mudanças, e ainda encararei a ida pra ai. Mas é como vc mesma disse, a gt adquire uma esperiência em certas coisinhas ne?
Eu espero de coração que vcs realmente encontrem o lugarzinho de vcs e q seja melhor do que o que vcs deixam. Que traga mais energia, mais grana ( pq não ne? )mais harmonia .. e que cada passo que vcs darão sirva como uma vitória e os leve sempre pra cima.
Tenho certeza que vcs encontrarão um cantnhu bem legal para ficarem.
Beijos
Ninha

Ninha disse...

esperiencia com S foi forte ne ?? rsrsrs

Jeanne disse...

Eu sei bem como é isso. Quando ainda estava na faculdade e tinha que morar em república, mudança era a coisa mais comum na minha vida.Cheguei a mudar 2 vezes eu um único ano!
Como você também estou experiente no assunto, então se precisar de alguma coisa é só falar.
Aqui no Prelude deve ter alguma coisa pra alugar porque toda semana tem gente olhando apartamento.
Boa sorte!
Bjs.

Ana Paula disse...

Boa sorte com a mudança!

Andrea disse...

Ola, Paula. Estamos em Toronto desde segunda-feira e nossos dias tem sido bastante corridos. Mas gostariamos muito de encontrar com voces... Especialmente porque vcs moram em North York, regiao em que pretendemos morar tambem. Se tiverem um tempinho - sabemos que mudancas sao sempre complicadas - por favor, mandem um recado pelo nosso blog (www.picolecarioca.com). Ficaremos super felizes!

Beijos e boa sorte na mudanca!


Andrea