27.2.08

NBA - onde a emoção acontece!





Não pude acreditar quando cheguei bem pertinho dos meus ídolos – os jogadores do Toronto Raptors – e assisti pela primeira vez ao jogo da NBA ao vivo!! Eu não pude me conter! Ainda bem que o marido já me conhece muito e está acostumado com tanta empolgação quando eu chego perto dos meus ídolos. Principalmente quando o assunto é esporte.

Eu “babo” mesmo em atletas profissionais independente do esporte, acho a profissão mais linda do mundo você poder se dar ao luxo de ser o melhor no que você faz, se divertir, amar o esporte, ser pago para isso e ainda por cima o seu “trabalho” fazer bem para a sua saúde! Não, tudo de bom!


Claro que esta fórmula mágica é para poucos e ainda bem que é assim. Não fosse assim não teríamos tido o privilégio de termos ídolos como Ayrton Senna, Ronaldinho, Guga (chorei com ele ao ver sua despedida das quadras há algumas semanas), Pelé, Oscar, Hortência, Paula, Bernardinho, Magic Johnson e tantos outros craques profissionais ou não por aí afora.

Aprendi com o meu querido pai, desde pequena, a acompanhar esportes em geral e a apreciar a luta e o empenho dos atletas por um único objetivo: se aperfeiçoar sempre! E nunca mais perdi este saudável hábito de praticar (quando posso e os esportes que me são possíveis praticar rsr) e vibrar com os atletas. A minha paixão pela bola cor de laranja e as duas tabelas também vem de longe.

Na escola (da quinta à oitava série) joguei muito basquete (antes que alguém me pergunte eu sempre fui armadora – aquele jogador mais baixo do time inteiro sabe?) e participei de vários campeonatos regionais. Tudo escolar, nada profissional mas muito gostoso. Depois, na adolescência fui treinar basquete em Sorocaba na escolinha da Minercal – ex time da ex jogadora e craque excepcional de basquete Hortência.


Sabe quando todas as meninas estavam colecionando papel de carta e montando pastas e pastas com centenas de diferentes formas e cores? Então, as minhas pastas continham recortes de jornal que acomapanhavam a carreira da Hortência e da Paula na época de ouro do basquete feminino brasileiro. Sim, aquela época que a TV Bandeirantes (pioneira em transmitir jogos da NBA no Brasil) era o canal do esporte, o Luciano do Vale narrava os jogos de basquete e eu acompanhava todos, inclusive os da NBA por lá. Sim, o tempo passa mas as paixões perduram!

Tudo isso para dizer que acompanhar basquete para mim não é novidade. O marido, que não acompanhava no Brasil, foi contagiado pela minha paixão pois morando em Toronto e tendo um time local que – pela segunda temporada consecutiva - vai muito bem na NBA, fica muito fácil se apaixonar pela liga mais famosa de basquete no mundo todo. Como diz o slogan da própria NBA que é tema da campanha de TV deles que possui inúmeras versões e eu amo todas – "NBA: Where Amazing Happens” (algo como NBA - onde o sensacional/espetacular acontece).

Enfim, acompanhar um jogo destes de pertinho foi emoção pura e após 3 meses de espera (este é o tempo de antecedência em média que você precisa comprar o ingresso na temporada se quiser assistir a algum jogo pois é uma loucura, todos os jogos são lotados. Há torcedor (mais abastado é claro) que compra o pacote para assistir a todos os jogos. Para mim, que já realizei um grande sonho de assistir a um jogo ao vivo, agora sigo a temporada vendo os outros pela NBA-Raptors TV (sim, aqui só passa NBA e nós incluímos este canal no pacote de casa) e acompanhando o Raptors chegarem aos play offs.

Go Raptors Go!

5 comentários:

Gean Oliveira disse...

Fiquei com inveja de vc :)

Eu ja fui a um jogo dos leafs, mas morro de vontade de ir a um dos Raps.

Sabia que existem pizza-pizzas espalhados pela GTA que vc compra uma pizza e recebe tickets para ir aos jogos?

O bom eh dia de jogo que eles fazem mais de 100 pontos, pq nos ganhamos slices de graca!

beijo

Sandro e Família disse...

Paula

Sei bem o que sentiu quando se aproximou dos jogadores, pois foi isso que senti quando fui assistir a uma partida do Leafs e sentei perto do banco de reservas, mas não dei a sua sorte já que no final eles perderam para o Dallas.

Abração

Jeanne disse...

Quisera eu ser paga para praticar meu hobby favorito.
:)

Mirela disse...

Quando li "Minercal" bateu a maior saudade da época que eu tbém jogava basquete.
Sempre que a Minercal vinha jogar em Salto contra a Mandi, eu estava lá, de prontidão para ver minha ídola, a Hortencia
Bjs

nancy Moises disse...

Eii querida é com muita alegria no meu coração que venho oferecer o selo de aniversario de 2 anos do Lua em Poemas, quero com ele selar e fortificar mais uma vez nossa amizade..
estava com saudades de vc.
sabe estou aqui lendo seu post sobre o basquete de toronto e me deu uma saudade qdo eu morava em Minas e ia ao mineirão ver meu time , minha paixão, é bom demais da conta ne?
bjs viu, manda noticias dai de tão longe pra mim visse?rsrs
Bjs