14.6.07

Ao meu pai "Canadense"

Calma pai! Não adotei um pai gringo não! Você é insubistituível e sempre será o pai que eu tanto amo! Acontece que domingo - (17 de junho) - todos os filhos Canadenses celebram o dia dos pais. Diferentemente do Brasil, aqui na América do Norte (os EUA também comemoram nesta data) o dia dos pais acontece no terceiro domingo de junho e foi criado por Sonora Smart Dodd de Spokane em Washington nos Estados Unidos.

Dodd mobilizou as igrejas locais a instituir o dia dos pais em homenagem ao seu pai – veterano da guerra civil que criara 5 filhos sozinho após a morte de sua esposa – e escolheu o dia 19 de junho de 1910 (aniversário do pai dela) como a primeira celebração do dia dos pais na Amércia do Norte. Foi aí que começei a pensar que eu, na condição de imigrante que adotou o Canadá como casa mas tenho a minha origem e meu pai no Brasil, em que data devo celebrar? A reflexão não durou um segundo! É claro que nas duas! Os pais merecem, ao menos o meu sim.

Pai, obrigada por sempre ter me mostrado com ações e exemplos os verdadeiros e reais valores a serem perseguidos nesta vida. Hoje, sei que muito do que eu sou e faço trago das suas simples mas genuínas atitudes que eu cresci acompanhando. Pai, eu sempre disse isso à você mas vou continuar repetindo sempre que se hoje eu tenho a capacidade intelectual, emocial e financeira de seguir em frente – com os meus próprios pés – devo quase tudo ao seu exemplo.

E ele vai continuar dizendo – em sua infinita humildade – que é muito mais a minha personalidade do que a sua participação mais do que ativa no meu desenvolvimento emocional. Tá bom vai, para ninguém brigar vamos dizer que é meio à meio (e que ele não nos leia (risos) – não é não! Bem esta persistência nas minhas crenças de quem será que eu herdei hein Papis?).

Só para ilustrar um pouquinho o que falo. Pai você lembra? De uma foto nossa à beira da piscina no quintal da vó Luiza em que você está lendo o Estado de S.Paulo e eu - ao seu lado - em uma cadeirinha para alguém de 4 anos de idade segurando uma folha do mesmo jornal querendo te imitar? CONHECIMENTO...

De quando um amigo seu deixou em casa uma mobilete e eu, do alto dos meus 12 anos de idade, louca para dar uma voltinha (sempre adorei motos e afins) e você me proibiu expressamente pois não tinha habilitação (mesmo não precisando para dirigir estas coisinhas.. todos tinham naquela época) e o veículo era de alguém que havia deixado em nossa confiança? Que se acontecesse algo, bla, bla, bla.. CONFIANÇA..

Por volta dos meus 15 anos quando queria porque queria estudar nos Estados Unidos (sempre o exterior!) ao invés de fazer festa de quinze anos (e o meu avó até teria condições de ter me mandado) e você me mostrou que se eu realmente quisesse algo teria que ter condições e lutar por e que o dinheiro eu poderia conseguir mais tarde e até viajar o mundo (lá fui eu mais tarde viajar o mundo. Você estava certo pai!) e que tudo que conquistamos por nós mesmos tem mais valor? CONQUISTA E INDEPENDÊNCIA...

Aos 18 anos quando estava em um carro que capotou seriamente (ali todos renascemos) e ao chegar em casa - após ter passado a madrugada na delegacia - ao invés de simplesmente esbravejar e passar um eterno sermão por conta da ocorrido (estavamos em uma festa no sitio até altas horas e é lógico que o motorista estava alcoolizado) você simplesmente disse “Avalie bem as consequencias de seus atos de antemão. Cada ato de irresponsabilidade que você cometer nós enquanto pais vamos ficar muito tristes mas quem vai carregar as consequencias pela vida toda é você (isso quando carregar porque no caso de um acidente como este poderia não estar aqui para contar. Lição aprendida)”, boa noite filha. RESPONSABILIDADE E CONSEQUENCIA...

Daquela prova de rios (o meu pai foi meu professor de geografia nos três anos de colegial) que eu troquei todos os afluentes do rio Amazonas e voltei para casa com uma nota vermelha e ao reclamar (em casa claro) você apenas me disse – “Filha, quando se estuda e leva à sério qualquer assunto, cometer erros em provas é a melhor maneira de aprender”. E assim na vida não é mesmo ? APRENDENDO COM OS ERROS.. NINGUÉM É PERFEITO.

E se eu continuar a lista não tem fim de quantas vezes, com palavras e atos totalmente apropriados ao contexto das situações, o meu pai me ajudou a ser o que sou hoje. Obrigada meu pai, te amo muito!

E a todos os pais (os que estão aqui Mauro e Alessandro), e os que estão no Brasil, a nova geração de pais (Rodrigo – o pai dos lindos Vitor e Vinicius – lindo o que você e a Viviane fazem com os seus filhos) o meu mais profundo respeito e reconhecimento por esta nobre função que muitas vezes é tomada como fluxo normal e natural das coisas e da vida mas que , na verdade, guarda em si muito de responsabilidade e comprometimento.

Vocês pais, não tem noção de quanto influenciam (positiva ou negativamente) a vida de seus filhos! Parabéns e sucesso à todos os pais nesta árdua tarefa de CRIAR!

**RECADO para a Renata Lima - Eu adoraria poder te ajudar. Entretanto, você não deixou o seu e-mail para que eu possa responder sua dúvida. No aguardo.

9 comentários:

Jeanne disse...

A manteigona derretida aqui ficou com os olhos cheios de lágrimas depois que leu o post.

Leslie disse...

Amiga, até eu que não sou pai, chorei com suas palavras... homenagem linda e merecida! bjs para vc, Humerson, seu Paulo e todos os pais do Brasil, Canadá e afins...

Anônimo disse...

Oi Paula,
E como e' ardua essa tarefa de criar. Hoje teve festa do Dia dos Pais na escola do Henrique a tarde, e claro, eu estava la', afinal como diz o velho ditado: Nao basta ser pai, tem que participar.
Obrigado pelas palavras.

Alessandro

Mauro disse...

Paula,
Muito linda sua homenagem.
Qdo vc descobre que vai ser pai dá aquele frio na barriga, misto de alegria e preocupação. Como será? Será que tenho "jeito" para pai? etc
A partir dai tudo na sua vida gira em torno dos filhos, todas as suas decisões, tudo que vc faz. Apesar de tudo, isso é uma delicia e adorei ser pai da Mariana e adorarei ser pai do novo "m".

Mauro

Fer & Rê disse...

Paula,
achei seu blog lendo outro blog ( como todos fazem na maioria... eh eh eh)e simplesmente assim como a Jeanne disse, cheguei a ter lágrima nos olhos... Apesar de não nos conhecermos, é óbvio... tuas palavras demonstram todo sentimento que um verdadeiro PAI pode passar para os seus filhos.. Também me orgulho do meu pai e de seus ensinamentos, pois eles ajudam a construir nossa vida moldando nossa personalidade através de seus ensinamentos.
Falou tudo!
Um abraço,

Rodrigo Pacheco disse...

Paulo!!Obrigado pelo dias do pais canadense. Graças a Deus tb tive o exemplo do meu pai que foi muito importante para minha formação, do qual tb quero transmitir aos meus filhos, sempre ensinando o certo ou errado, mesmo que as vezes precisamos errar para aprender...
abraço a você ao Mauricio!!!

Cris disse...

Paula, que mensagem linda para os pais. Parabéns para vc e para o seu pai!!!

lizete disse...

É...Nem é preciso dizer..que....As lágrimas,teimaram em descer!!!
Nossa , querida:" Paulinha, Pablita,Nequinha..Etc..e tal...""
Assim, como era denominada,qdo. criança, por alguns de seus queridos....Vc tem uma capacidade para escrever,sintetizar e expressar idéias,com uma incrível clareza!
E..Isso,com os olhos cheios de lágrimas, seu pai, humildemente disse:" ..Isso ela não herdou de mim , não"....E...Mais adiante,disse:"...tem geito de imprimir, isso?""
Sem comentários...Parabéns.e..obrigada!
Bjsss..Abraços/saudades!!
Paulo e Lizete.

Pri disse...

Caraca!
Chorei!... :D

Liiindo!!...
Caí de gaiato nesse blog e AMEI!

Tá no favoritos... ;))

Tudo de bom pra vc, Paula!!

Pri ;)