14.7.08

Orgulho de ser brasileiro

Curioso como viver no "estrangeiro" (parafraseando as simpáticas senhoras do interior paulista) potencializa o sentimento de orgulho por suas próprias raízes. Talvez isso seja facilmente explicado porque quando estamos longe temos a tendência natural de lembrarmos apenas das coisas boas (alguém aí sente saudades do que é ruim? óbvio que não!) e "esquecermos" os problemas. 

Por outro lado, acabamos por focar nos problemas que estão pertinho de nossa realidade onde quer que estejamos. Sim, curtimos as coisas boas daqui mas nunca deixando de lado aquele sentimento de lembrança do melhor que há na nossa terra natal. Especialmente se este melhor ganha projeção mundial à ponto de orgulhar quem vive no "estrangeiro".

Ao abrir as páginas do The Star e do Globe and Mail de hoje me deparei com uma notícia típica do mundo globalizado dos negócios mas com um toque especial de brasilidade. A Inbev (resultado da união, em 2004,  da belga Interbrew com a brasileira AMBEV) acaba de comprar a norte-americana Anheuser-Busch, fabricante da Budweiser (responsável pela minha introdução ao mundo saboroso da degustação de cerveja:) por $52 bilhões de doletas americanas!

Embora a maior parte das matérias publicadas por aqui obviamente não mencione, apesar da sede da Inbev ser na Bélgica, o verdadeiro comando desta gigante cervejeira sai mesmo é do Brasil. Carlos Brito é o cara. O engenheiro brasileiro será o CEO da nova empresa. Se a negociação for aprovada pelos orgãos competentes, será a quarta maior empresa de consumo do mundo e a maior cervejaria do planeta! E não é para ter orgulho de ser brasileiro? 

Tudo bem que eu sempre soube da capacidade que os empresários e as grandes empresas brasileiras possuem de fazer negócio e justamente por isso que sob a ótica de quem vivia no Brasil seria apenas mais uma notícia de um  negócio realizado. Entretanto, sob a perspectiva de quem tem que lutar a cada dia, ou melhor, a cada minuto, para provar que é capaz fora do seu país de origem e de sua zona de conforto, a coisa muda totalmente de figura.

Dá orgulho sim de ser brasileiro e ver que temos gente muito boa se projetando mundo afora para que pessoas de outras nacionalidades possam ver. Afinal de contas nós sabemos do próprio potencial!  

E por falar em "breja", leitura boa sobre este assunto é o livro Why Mexicans don't drink Molson da jornalista que tem sobrenome de sopa:) Andrea Mandel-Campbell. Saúde!




4 comentários:

Anônimo disse...

Pois eh Paula. Por isso realmente da orgulho de ser Brasileiro. E inclua tambem: A Petrobras que ultrapassou a Microsoft em tamanho, A Gerdau - conhecida aqui como Ameristeel, A votorantim que aqui comprou a Sant Marys Cement, a Vale que adquiriu o orgulho Canadense Inco e a Embraer que so nao eh a terceira maior empresa aerea porque a Bombardier vive que subsidios governamentais.
So para lembrar todos o CEOs sao Brasileiros.

Um abraco - mauro

Jeanne disse...

A empresa em que estou trabalhando é pequena mas sempre tem alguém de olho no mercado brasileiro, pois é com nossos patrícios que eles querem fazer negócio.
Bjs

Isabella disse...

Que engraçado, Paula, li a matéria na sessao business do Washington Post mas foi aqui que fiquei sabendo dos detalhes interessantes : )

Estou passando seu post pro meu grupo de mulheres brasileriras, tá? Com os devidos créditos!

bjs

Taís disse...

Oi Paula
Vc não vai se lembrar de mim, mas estudei no Grupão, na msm época q vc e na classe do Maurício.
Achei seu blog esses tempos atrás(na verdade, nem me lembro bem como) e não pude parar de ler até chegar a este último post. É muito bom!
Posso dizer então, que acompanhei um pedaçinho da “saga” pra realização do sonho de vcs, e q fiquei muito feliz de saber como estão bem.
Histórias assim, como a de vcs, nos fazem voltar a acreditar que quem quer, luta e acredita, alcança.
Felicidades pra vcs
Bjos

Taís