19.5.13

O fim de uma Era


“Tudo vale a pena se a alma não é pequena” escreveu o poeta. No entanto, o que vale a pena quando a alma ESTÁ pequena? Quando a alma grita por mudança? E quando ela, a alma, cansa do desapego e parece dizer, juntamente com o coração, que toda a energia secou. Aí vem a mente, essa senhora da razão (que a cada ano ganha mais capacidade para enxergar tudo com clareza) e  detecta os sinais da alma e do coração, visualiza a trilha bifurcada e, como um capitão disciplinado de um exército qualquer, dá o comando: Chega.

Se a mente fosse um GPS (Sistema de Posicionamento Global), além do comando CHEGA diria que a rota precisa de um giro de 360 graus. Isso porque na jornada de quase 7 anos no Canadá,  todos os atalhos possíveis e conhecidos foram utilizados. Uns mais curtos, outros mais longos mas todos utilizados. Parafraseando o ex vocalista da banda Camisa de Vênus, Marcelo Nova, Um passo para frente, dois passos para trás” virou uma máxima nos últimos anos, quase um mantra. Não que não seja possível caminhar assim, no entanto, a alma dava sinais de cansaço à mente que, por sua vez, ainda enxergava um sentido na caminhada. Até que um belo dia ela (a mente) parou e enxergou. Sim, é hora de começar tudo novo, de novo.

A mesma alma que ficou pequena e que, por sua vez não permite que a mente visualize mais motivo para seguir o mesmo caminho, debate-se buscando a resposta para o que mudou de 7 anos para cá. Seriam as prioridades? O momento de vida? Maneira de enxergar tudo? Experiências vividas? A mente não decepcionou e prontamente respondeu: “Um pouco de tudo”.  

Mas o que a alma quer? E a mente lembra dos Titãs para responder pois a música ultimamente tem massageado a alma e clareado a mente. O que queremos nesse exato momento? “A gente (alma e mente) não quer só comida, a gente quer comida diversão e arte, a gente não quer só comida, a gente quer saída para qualquer parte...” A alma quer voltar a ser grande e por sua vez provocar o brilho nos olhos novamente. Cansou-se do desapego desmedido, tanto espiritual quanto material, do desnudamento, da ausência excessiva de ego, da distância radical e constante da zona de conforto, da falta de racionalidade dos acontecimentos, da diminuição desproposital das capacidades intelectuais, da relatividade do tempo e de tantas outras coisas.

Aí vem a mente novamente, aquela pensante figura de 38 anos, e se questiona se tudo isso significa que a experiência vivida de nada valeu. E a resposta é um sonoro NÃO! Ao contrário, tudo valeu, até aqui. Entretanto, a capacidade do cérebro vai além. E trata-se aqui de uma análise do futuro e não do passado. Portanto, essa parte de nossas vidas, vivida segundo o mais rigoroso manual do estilo barraco de literatura em exaltar o CARPE DIEM, só nos fez crescer, evoluir e enxergar tudo com mais clareza ainda. Afinal somos o que vivemos e a experiência nos traz isso.

Mas, e daqui para frente? Para novamente parafrasear os roqueiros Titãs, vamos continuar “varrendo a areia da praia?” A alma, como num surto desesperado, salta e grita : não. Até porque se lembra de quando se iluminava ao fazer os exercícios de meditação oferecidos nas aulas de Kung Fu pelos mestres da sabedoria. O que, por sua vez, a fez lembrar da transitoriedade de todas as coisas e da fluidez com que o rio corre e continua lindo. O mestre budista a ensinou muito sobre como tudo muda. Daí a facilidade com que a mente , já tão treinada, toma a decisão de voltar. Voltar para o que acalenta a alma. A minha alma.

E a inquieta mente questiona? O que acalenta sua alma nessa fase de sua vida?

Estar próxima de meus pais enquanto eles ainda estão cheios de saúde e oferecer ao meu filho a mesma infância que tive: muito próxima de meus queridos avós e cercada de carinho, primos e tios,

Caminhar com o meu pai em um final de tarde e termos nossas velhas conversas e teorias que parecem querer mudar o mundo,

Jogar conversa fora com minha mãe sem ter que fazer uso da tela do computador para isso, 

Receber o sorriso do meu irmão ao tirar sarro de mais um de meus devaneios,

Ver o meu filho brincar no quintal da avó e comer o maracujá que o vovô Paulo plantou,

Ver o meu filho brincar na terra roxa da fazendo da avó Neuza e andar no cavalo do vô Roque,

Retomar o conhecimento e o reconhecimento intelectual, social e cultural em uma velocidade condizente com a minha idade,

Dar risada com poucos mas verdadeiros amigos de uma vida (vocês sabem quem são)

Não cabe aqui elencar vantagens e desvantagens da escolha. Até porque sei muito bem o que ganho e o que perco ao viver no Canadá e o que perco e o que ganho vivendo no Brasil.  Entendo perfeitamente a escolha e as trocas que estou fazendo. E faço esse movimento com a mesma paixão e vontade que fiz quando aqui cheguei  naquele dia 13 de setembro de 2006. Respeito o momento de cada pessoa e desejo toda a sorte do mundo no caminho de tantos colegas que, assim como nós, vieram para o Canadá e lutam muito pelo direito de pertencer. Entretanto,  o meu momento é o do regresso. E estou muito aliviada em finalmente ter conseguido enxergar isso com muita clareza. Será sempre um prazer continuar ajudando aqueles que pretendem fazer o mesmo e quiserem saber mais detalhes de tudo sempre baseado na minha experiência claro! 

Portanto
esse blog não vai acabar. Ao contrário, pretendo continuar relatando toda a minha experiência com as idas e vindas da vida de uma alma tão habituada ao brilho nos olhos e a paixão por um projeto que, quando esse brilho acaba,  obriga a mente a enxergar que é hora de mudar. E vai continuar mudando quantas vezes forem necessárias. Foi um prazer enorme ter vivido essa riquíssima experiência no Canadá mas agora é hora de começar tudo novo , de novo.

15 comentários:

Piaçava disse...

Que surpresa, Paula. Boa sorte neste processo e não pare de escrever não, pois será muito interessante acompanhar o caminho contrario. Acho que todos nos perguntamos como seria se algum dia voltássemos a viver na terrinha depois de toda nossa experiência por aqui.

lizete disse...

Que escrever depois deste MARAVILHOSO POST!??Tive que reler..reler..reler, já que as lágrimas teimavam em embaçar minha visão!VENHAM.. COM DEUS!NÓS OS ESPERAMOS sempre , com todo amor e carinho!BRASIL... BOITUVA E TODOS NÓS OS AGUARDAMOS !Beijãooo da MÃE, SOGRA E AVÓ , que não ve a hora de " jogar sim, muita conversa fora , sem a interfer~encia da telinha" , rrsrs..Fuii... "Mexer o doce".. INTÉ!

Turma do Balão disse...

Nem sei o que dizer....te leio a tantos anos.....primeiro no Brasil e agora em Oakville. Espero que de tudo certo e te dsejo toda sorte do mundo. Obrigada por ter me inspirado. Adora a forma como vc escreve. Abraço enorme da Turma do Balao.

Anônimo disse...

Admiro vc e muito, parabens, não esta privando a você e aos seus de terem uma memoria emocional , que afinal é a base de tdo.
Parabens boa sorte, aproveite tdo que vc aprendeu ai e coloque em pratica aqui no BR e em Boituva.

Deus os abençoe

Bem vindos !
adoro seu blog, um dia tbem mudo !

Paula Regina disse...

Muito obrigada pelo carinho Turma do Balao , Piacava e fa anonimo. Agora so faltam 24 Dias!

bolsas femininas disse...

Venha conhecer hoje mesmo a Nina Boutique, a sua loja online de bolsas e acessórios femininos e não perca as nossas promoções.

lucas campos disse...

Replicas de Relogios
Replicas RJ
Relogios SP

Anônimo disse...

Ola,
Por favor, venha contar como foi essa mudanca para o Brasil. Tambem moro no Canada e as vezes me pego pensando em montar algo por la, pegar minha residencia e voltar. A saudade da familia eh grande.
Que Deus abencoe!

Olá Canadá disse...

Oi! Gostaríamos de saber mais. Conte a sua experiência. Se der entre em contato com a gente! Estamos indo em 2016 para Vancouver ou Toronto. Queremos ouvir mais pessoas que estão aí...

blog Olá Canadá!
Abraços,
Dan e Jo

lfstumpo disse...

Ola, vc ainda mantém esse blog ativo? estou pensando em imigrar para Quebec, vc pode me ajudar?

Anônimo disse...


Prezados Senhores(as),

Gostaria de acusar o recebimento de um email especifico para posterior contato.

Desde já, agradeço a atenção á minha solicitação.

Obrigado, Fernando Tavares. Santa Catarina. Brazil.

Obs. Enviar retorno para: cadmet@bol.com.br

Anônimo disse...

Prezados Senhores(as),

Por gentileza, solicito o envio de um email especifico para futuro contato com este blog. Desde já, agradeço a atenção dispensada á esta minha mensagem.

Agradecido, Fernando Tavares. Brazil.

Enviar retorno para: cadmet@bol.com.br

Anônimo disse...

Prezados Senhores(as),

Solicito; com toda educação, o envio de um e-mail específico ao qual eu possa entrar em contato alguns meses a frente.

Obrigado pela atenção dispensada à esta mensagem.

Fernando Tavares
ww.tavarestraducoes.com.br

cadmet@bol.com.br

Anônimo disse...

Prezados Senhores(as),

Solicito; com toda educação, o envio de um e-mail específico ao qual eu possa entrar em contato alguns meses a frente.

Obrigado pela atenção dispensada à esta mensagem.
Se, por acaso, eu já tiver enviado esta mesma mensagem, desculpe-me.

Fernando Tavares
ww.tavarestraducoes.com.br

cadmet@bol.com.br

Anônimo disse...


Prezados Senhores(as),

Solicito; com toda educação, o envio de um e-mail específico ao qual eu possa entrar em contato alguns meses a frente.

Obrigado pela atenção dispensada à esta mensagem.
Se, por acaso, eu já tiver enviado esta mesma mensagem, desculpe-me.

Fernando Tavares
ww.tavarestraducoes.com.br

cadmet@bol.com.br