1.10.10

Esse é o cara!!!!!!!!!!!!!!

Deveria virar lei! Todo imigrante deveria assistir, ainda em seu país de origem se possível, a palestra do francês Lionel Laroche . Precisou um engenheiro francês, também imigrante no Canadá como nós, para finalmente apresentar a real dos fatos na dificílima tarefa de recolocação e integração de profissionais qualificados, oriundos de outros países, no mercado canadense!

Nada contra engenheiros, pelo amor de deus! Eu me casei com um e acho que no fundo no fundo tenho uma invejinha de não ter o perfil necessário para ser engenheira:). Daí talvez a minha admiração pelo racional, exato e matemático dos bons engenheiros, mas enfim Freud deve explicar uma comunicadora com esse tipo de crise:) Afinal Deus me deu o dom da palavra, dos idiomas e lá vou eu com ele seguindo em frente:)

O fato é que nos últimos quatro anos, dos quais três inteiramente, arduamente e exclusivamente dedicados a me recolocar no mercado de trabalho, é a primeira vez que ouço alguém traçar o cenário da recoloação profissional de imigrantres de maneira inteligente, real e mais importante ainda, com muita qualidade! Nesses 3 anos das minhas idas e vindas ouvi muita besteira, mas muita besteira mesmo! Presenciei de tudo que vocÊ pode imaginar e quando ouço um palestrante desse nível só posso lamentar o fato de os funcionários das instituições que ajudam os imigrantes não terem sequer um terço da capacidade e visão que tem esse engenheiro!

Se mais pessoas envolvidas com a imigração aplicassem na prática o que esse engenheiro diz talvez houvesse menos discrepância entre a expectativa dos que chegam e a realidade dos que recebem. Portanto, se você me lê e ainda não chegou no Canadá faça um favor a si mesmo : veja e reveja essa palestra uma vez por dia até você chegar por aqui. Quando chegar vai entender que o que ele fala é a mais pura verdade!

Na outra ponta, se você já está aqui no Canadá, já trabalha por aqui também vai usufruir muito dela! Enfim, serve para todo mundo! E o melhor, esclarece de uma maneira objetiva, sem frescura e direta que talvez precisasse de um engenheiro mesmo para apresentar:)

Quando aqui chegamos, o que mais incomoda (como o Lionel explica tão bem) é o fato de os funcionários das instituições que ajudam o imigrante terem muito pouca intimidade com o assunto, não serem imigrantes (a maioria não é., portanto não conhece a dor da experiência) e pior, não terem a mínima idéia do que você fazia no seu país e ainda quererem "ajudar" com a sua recolocação! É patético!

Outro fato que amei desse palestrante é a ausência do Power Point!! De novo, nada contra pois usei muito power point na minha outra encarnação como assalariada de multinacional, mas o Power point é uma dessas ferramentas que escraviza e empobrece muito a palestra se você não tomar cuidado. O Lionel me lembrou um daqueles excelentes professores que dominam tanto o assunto que lecionam e que por isso não precisam de muletas para ensinar. Tive poucos desses na vida mas sempre admirei muito. Assisti a palestra dele e fiquei com vontade de ter aula com ele, mesmo que fosse de cálculo para eu não entender nada!

Enfim, aqui um desabafo de quem demorou para ouvir alguém falar de maneira inteligente e realista para um imigrante, entre outras coisas, que a média (dependendo do ramo de atuação como ele bem explica) vai demorar de 6 a 12 ANOS (e não meses) para chegar próximo do nível intelectual-financeiro-profissional que exercia antes de chegar no Canadá. E melhor, apontar os pontos que devem ser trabalhados de verdade e não meramente ficar repetindo os velhos clichês : você precisa fazer NETWORK (arrrgh), ter um bom inglês (ah vá!) e ser flexível (aliás a parte que ele fala da flexibilidade dos imigrantes é ótima!) e team player (arrrgggh ao quadrado). Enfim, uma massa cefálica funcionando e ajudando de fato em meio a um mar de deserviço e desinformação! E olha que a palestra nem é nova (2008). FINALLY!!!!!Affe.... falei!

Em tempo, a Jeanne minha vizinha foi quem compartilhou esse video e merece o crédito de ter achado essa preciosidade! Valeu Jeanne! Muito bom mesmo! Bom fim de semana a todos!


6 comentários:

Eliane disse...

Oi Paula, eu já conhecia essa palestra, quem me passou foi meu marido que também é engenheiro hehehe, ele chegou até essa palestra em um curso que ele fez aqui em Calgary quando ainda estava desempregado. Esse curso era para atualizar engenheiros imigrantes para o mercado canadense. Foi através desse curso que ele arrumou o primeiro e unico emprego, afinal ele ainda está nesse emprego depois de quase dois anos. Enfim, o que eu acho é o seguinte, o governo canadense sabe da necessidade do skilled work, mas o mercado canadense é super protecionista e muitos canadenses acham que todo imigrante aqui é refugiado. A sociedade canandense em geral não sabe e não quer valorizar o imigrante bem preparado. Por outro lado o imigrante bem preparado tecnicamente precisa aprender muito sobre o soft skill canadense. Não adiante viver aqui e não saber como a sociedade canadense se comporta ou como lidar com ela o chamado "jeitinho canadense"isso no bom sentido. Muito obrigada por você ter postado essa palestra sensacional, espero que muitas pessoas tenham acesso e reflitam sobre ela. Obrigada também a Jeanne minha amiga também de facebook.
Bjkas (esqueci de dizer, estamos em Calgary-Alberta)

Jeanne disse...

Eu acho que as pessoas que ministram esses cursos do governo para aprender a fazer resume, cover letter, e a se portar em entrevistas, pode até entender do mercado de trabalho canadense, mas não sabem absolutamente nada sobre imigração. Quem me dera essas pessoas pudessem assistir essa palestra também.
Bjs

Nelson Filho disse...

Eita que achado massa! Valeu pela iniciativa! Eu e minha esposa ainda estamos nos preparando para a viagem.
Obrigado.

Fabizoca disse...

Noooossa!! Eu ADOREI essa palestra.... eu e o marido ficamos parados na frente do computador vendo sem nem piscar os olhos, o cara é mtooooo bom.... Mas acho q tudo isso serve para dar uma injeção de animo para os q estão aki tentando se estabelecer.... Sabiamos q a batalha não seria facil. Só espero do fundo do coração q consigamos nos estabelecer antes dos 6 anos.... hehehehe.....
Muiiiiiito obrigada por essa informação preciosíssima.....

[]'s de uma moradora de Vancouver

Fabiana

Iane&Flávio disse...

Boa tarde Paula, estava lendo seu blog e achei mtooo interessante toda a sua moradia ai em toronto,experiencias, estou indo daqui a um mes para o Canada, Toronto, com meu marido, se fosse possivel gostaria de tirar algumas dicas com voces. Obrigada pela atençao. Meu msn é iane_pontes@hotmail.com

alice disse...

Bem interessante essa palestra, mais interessanta ainda foi ele reconhecer que, em certas profissões, o prazo para o emigrante chegar ao mesmo "nível intelectual-financeiro-profissional que exercia antes de chegar no Canadá" é de 6 a 12 ANOS. Aí me pergunto: será que vale tanto à pena assim alguém oriundo da classe média/classe média-alta brasileira esperar todo esse tempo desempregado ou trabalhando em subempregos ou como voluntário até conseguir algo bem remunerado em sua própria área de atuação profissional? Quem é classe média no Brasil possui uma vida relativamente confortável, com vários benefícios e oportunidades. Aqui, querendo ou não, por mais qualificação que tenhamos, somos vistos e tratados como chicanos. Aliás, tenho certeza que o nome e as qualificações franco-europeias do engenheiro palestrante tiveram e tem um peso muito maior no mercado canadense do que o nome e qualificações de um engenheiro latino (vide estudo do pesquisador da universidade de British Columbia http://www.docstoc.com/docs/16132381/Why-Do-Recent-Immigrantsto-Canada-Struggle-in-the-Labour-Market). Diante desse quadro, acho que quem é classe média ou classe média alta no Brasil deve refletir imensamente antes de lagar tudo na terrinha e fazer esse imenso investimento financeiro e psicológico no Canadá. Já conheci algumas pessoas bem deslumbradas e com ideias fantasiosas sobre o país, muitas delas reforçadas por marketing oficial. O Canadá de hoje não é o mesmo de 20 anos atrás, assim como o Brasil de hoje não é o mesmo. Ambos países possuem qualidades e problemas. Será que não é melhor fazer uma pós no Canadá, adquirir experiência internacional por um tempo e depois utilizar esses ativos no Brasil ao invés de largar tudo na terrinha? Cada um sabe de si e das razões pessoais de tomar esta ou aquela decisão, mas é fato que a realidade da vida de um imigrante latino qualificado e as dificuldades de sua inserção no mercado de trabalho canadense não são amplamente divulgados.